29
Out 11

As sem razões do amor
Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no elipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

 

Carlos Drumond de Andrade

 

 

 

 

 

publicado por Chicailheu às 06:40
borboletas:

publicado por Chicailheu às 06:37
borboletas:

Eu tenho uma espécie de dever,
 de dever de sonhar,
 de sonhar sempre,
 pois sendo mais do que
 uma espectadora de mim mesma,
 eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso.
 E assim me construo a ouro e sedas,
 em salas supostas, invento palco, cenário,
 para viver o meu sonho
 entre luzes brandas
 e músicas invisíveis.


 (Fernando Pessoa)
 
Sonhar mais um sonho impossível
 Lutar quando é fácil ceder
 Vencer o inimigo invencível
 Negar quando a regra é vender
 Sofrer a tortura implacável
 Romper a incabível prisão
 Voar num limite provável
 Tocar o inacessível chão
 É minha lei, é minha questão
 Virar este mundo, cravar este chão
 Não me importa saber
 Se é terrível demais
 Quantas guerras terei que vencer
 Por um pouco de paz
 E amanhã se este chão que eu beijei
 For meu leito e perdão
 Vou saber que valeu
 Delirar e morrer de paixão
 E assim, seja lá como for
 Vai ter fim a infinita aflição
 E o mundo vai ver uma flor
 Brotar do impossível chão
 
E eu só me recordo de uma frase que li há muito tempo atrás, que dizia
 “O impossível só dura o tempo de ser realizado.”
 Então, busque seus sonhos.
 Estabilização não deve ser confundida com monotonia e pura repetição.
 Afinal, você quer viver ou apenas durar?
 Para um instante e reflita:
 quando foi a última vez que você fez alguma coisa pela primeira vez?


 

 

publicado por Chicailheu às 06:35
borboletas:

Bom Dia: 7  
 
  
publicado por Chicailheu às 06:34
borboletas:

25
Out 11

publicado por Chicailheu às 05:32
borboletas:

Instantes


Desconhecido

 

Se eu pudesse viver novamente a minha vida,
na próxima trataria de cometer mais erros.
Não tentaria ser tão perfeito, relaxaria mais.
Seria mais tolo ainda do que tenho sido;
na verdade, bem poucas pessoas levariam a sério.
Seria menos higiênico. Correria mais riscos,
viajaria mais, contemplaria mais entardeceres,
subiria mais montanhas, nadaria mais rios.
Iria a mais lugares onde nunca fui,
tomaria mais sorvete e menos lentilha,
teria mais problemas reais e menos imaginários.
Eu fui uma dessas pessoas que viveu
sensata e produtivamente cada minuto da sua vida.
Claro que tive momentos de alegria.
Mas, se pudesse voltar a viver,
trataria de ter somente bons momentos.
Porque, se não sabem, disso é feito a vida:
só de momentos - não percas o agora.
Eu era um desses que nunca ia a parte alguma
sem um termômetro, uma bolsa de água quente,
um guarda-chuva e um pára-quedas;
se voltasse a viver, viajaria mais leve.
Se eu pudesse voltar a viver,
começaria a andar descalço no começo da primavera
e continuaria assim até o fim do outono.
Daria mais voltas na minha rua,
contemplaria mais amanheceres
e brincaria com mais crianças,
se tivesse outra vez uma vida pela frente.
Mas, já viram, tenho 85 anos
e sei que estou morrendo.

 

 

 

 

publicado por Chicailheu às 05:28
borboletas:

publicado por Chicailheu às 05:26
borboletas:

11
Out 11





publicado por Chicailheu às 05:43
borboletas:

LENDA DE S. MARTINHO


Era Outono!

Era uma tarde de Outono!

Mas era Inverno que fazia!

Martinho, soldado romano

Cavalgava...

E o seu dever cumpria!

Rubra capa o protegia,

De tão grande temporal!

Eis que seu olhar vislumbra

Alguém que gemendo... sofria!

Sua alma generosa

Encheu-se de compaixão!

Parou!...

Olhou!...

E, ... ternamente observou!

Martinho ouviu

Com comoção,

Pedidos de auxílio,

De súplica,

Daquele mendigo,

Ali estendido...

No chão, húmido e gélido!

Todo molhado!

Tão mísero!

Tão sofrido!
 Martinho,

Sem hesitar,

Em sua espada pegou

E... num repente

Em duas, a sua capa cortou!!!

De sorriso nos lábios,

Nas mãos do pobre deixou

De sua capa a metade

A outra... p'ra si ficou!!!

E, eis que se deu o milagre!!!

As nuvens que até aí

Poderosas, no céu reinavam,

Espantadas de tanta bondade...

Se afastaram!

Afastaram-se para o sol ver

Aquele gesto generoso

Daquele nobre soldado.

O sol também gostou...

Também gostou, do que viu

E abrindo seus braços dourados

O rei dos astros sorriu!

 

 

 

 

 

 

publicado por Chicailheu às 05:36
borboletas:

 

Castanhas: vocabulário
Aqui ficam algumas palavras relacionadas com as castanhas:

Assadeira: mulher que assa castanhas.
Assador: utensílio de chapa zincada ou panela crivados de buracos para assar castanhas
Avelada: castanha pequena encarquilhada
Bilhó: castanha assada ou cozida e descascada (Trás-os-Montes, Beira)
Bonecra: castanha chocha (Trás-os-Montes)
Caldudo: caldo de castanhas piladas, espécie de puré que se usa à sobremesa (Beira)
Carcavela: castanha que só tem casca (Trás-os-Montes)
Carrelo: montão de castanhas
Caruma: película que reveste as castanhas ainda verdes (regional)
Cascabulho: casca das pevides, das castanhas, da bolota, etc.
Castanha: fruto do castanheiro
Castanhada: doce de castanhas
Castanheira: mulher que vende ou assa castanhas; variedade estéril de castanheiro
Castanheiro: árvore fagácea, de folhas grandes, flores brancas e frutos em forma de cúpula espinhosa (ouriço), cujo fruto é a castanha
Cócora: Castanha cozida que só parcialmente se descascou (Trás-os-Montes)
Croca: castanha assada no forno sem ter sido previamente golpeada, para evitar que estoure
Debangar: diz-se da vagem quando larga a semente ou do ouriço quando deixa cair a castanha
Destelar: cair da árvore, com o vento ou a maturação (falando da azeitona ou da castanha) (Regional)
Falache: bolo de farinha de castanhas piladas (Regional)
Faneca: castanha chocha (regional)
Folecra: castanha chocha ou sem polpa
Grolo: diz-se da castanha mal assada
Longal: diz-se de uma variedade de castanhas
Magusto: porção de castanhas assadas na fogueira; festa, geralmente ao ar livre, em que se assam castanhas; merenda de castanhas assadas
Mamota: diz-se da castanha cozida com casca inteira e sem sal (regional)
Ouriceira: lugar onde se guardam castanhas nos seus ouriços
Rebola: brava, rebordã (castanha)
Rebolo: diz-se do castanheiro bravo
Rebulhana: Jogo de adivinhação com castanhas assadas (Trás-os-Montes)
Soutinha: Diz-se da castanha redonda (Trás-os-Montes)
Souto: mata de castanheiros
Tanado: cor de castanha

 

Fontes: Priberam e Diciopédia

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Chicailheu às 05:32
borboletas:

Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
27
28

30
31


::RELÓGIO::
::CONTADOR::
Ferias
Contador
::MEUS SLIDES::
::MIMINHOS::




































::BLOGUES AMIGOS::
O Blog da Joanina Azoriana / Açoriana Grilinha
::MINHAS MÚSICAS::
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO