29
Out 11

Eu tenho uma espécie de dever,
 de dever de sonhar,
 de sonhar sempre,
 pois sendo mais do que
 uma espectadora de mim mesma,
 eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso.
 E assim me construo a ouro e sedas,
 em salas supostas, invento palco, cenário,
 para viver o meu sonho
 entre luzes brandas
 e músicas invisíveis.


 (Fernando Pessoa)
 
Sonhar mais um sonho impossível
 Lutar quando é fácil ceder
 Vencer o inimigo invencível
 Negar quando a regra é vender
 Sofrer a tortura implacável
 Romper a incabível prisão
 Voar num limite provável
 Tocar o inacessível chão
 É minha lei, é minha questão
 Virar este mundo, cravar este chão
 Não me importa saber
 Se é terrível demais
 Quantas guerras terei que vencer
 Por um pouco de paz
 E amanhã se este chão que eu beijei
 For meu leito e perdão
 Vou saber que valeu
 Delirar e morrer de paixão
 E assim, seja lá como for
 Vai ter fim a infinita aflição
 E o mundo vai ver uma flor
 Brotar do impossível chão
 
E eu só me recordo de uma frase que li há muito tempo atrás, que dizia
 “O impossível só dura o tempo de ser realizado.”
 Então, busque seus sonhos.
 Estabilização não deve ser confundida com monotonia e pura repetição.
 Afinal, você quer viver ou apenas durar?
 Para um instante e reflita:
 quando foi a última vez que você fez alguma coisa pela primeira vez?


 

 

publicado por Chicailheu às 06:35
borboletas:

Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
27
28

30
31


::RELÓGIO::
::CONTADOR::
Ferias
Contador
::MEUS SLIDES::
::MIMINHOS::




































::BLOGUES AMIGOS::
O Blog da Joanina Azoriana / Açoriana Grilinha
::MINHAS MÚSICAS::
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO