15
Jul 11

 

 

publicado por Chicailheu às 01:14
borboletas:

Toda a vez que eu choro...
Há um sol que ignoro
Um mundo lá fora
Que não se compadece
É tempo perdido
E este meu ar sofrido
Está de mim cansado
 
Sempre que eu me escondo
É por cobardia
É esta mania de me anular
O que eu tenho mesmo
No fundo, no fundo…
É medo de amar!

 

Toda a vez que eu choro..

Sinto-me liberta

Mais calma, mais alerta

Mais mulher

Que não vira a cara

E sabe viver

Que enfrenta o fracasso

E aninho em meu regaço

A esperança

A dor e saudade

E espero cannsada

A Certeza de um abraço!

 

CHICA

 

 

 

 

publicado por Chicailheu às 01:09
borboletas:

Uma vida fácil não nos ensina nada. No fim, é a aprendizagem que conta: aquilo que aprendemos e a forma como crescemos.

 

Devemos acreditar no impossível: voltar a ser feliz mesmo nas condições mais adversas.


Ninguém deve acreditar apagadas as estrelas eternas. Elas brilham ainda atrás das nuvens.


Henri Zcholkke os 2 pensamentos

 

 

publicado por Chicailheu às 01:05
borboletas:

Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
16

18
19
20
22

24
25
26
27
30

31


as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO